quinta-feira, 16 de junho de 2011

Medos e espelhos



Ter medo me limita, aguça meus sentidos e me deixa na fronteira entre o humano e o animal. Do que tenho medo? Por que essa reação tão profunda? Qual o motivo dos pêlos eriçados, da taquicardia e da respiração ofegante?
O medo. De onde? De quando? De quem? De nada. Pequenos ruídos, imagens no espelho, reflexos, fantasmas, rostos distorcidos e corações despedaçados. Ter medo me faz sentir igual a fera acuada, fico nervosa, suor gotejando, sentindo e vendo até o que não existe, ouvindo vozes de ninguém, esmurrando o vento, pulando com o barulho do portão.
O medo me fez subir na árvore mais alta, só não me ensinou a descer, mas para isso deverei passar por mais um terror.
Eu vi! Eu vi! Um rosto ali – não era nada, só minha sombra. Pára! Eu senti! Oh, céus é a brisa da noite...
Eu tenho mais medo de noite do que de dia. Talvez seja por que de dia tudo é mais claro, coerente, nítido. De noite tudo se transforma e o mundo de Bob não é tão fantástico assim. Tenho medo de admitir que tenho medo, por que assim, ficarei mais vulnerável. Mantê-los-ei sob 7 chaves e ninguém os verá a não ser que olhem bem meus olhos.
Mas eu não tenho medo de você.

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Carta





Bom dia;


Amanheceu. Incrível como o dia amanheceu tão belo - embora a tempestade que chega seja da cor de teus olhos castanhos. Eu observei devagar enquanto pisava a relva que guardava ainda o orvalho. Acordei cedo para respirar as primeiras horas do ar puro do dia e, então lembrei de uma frase de Clarisse "Mas quando estou com uma pessoa verdadeira, fico verdadeira também". Esse é um começo ridículo de uma carta... Arranquei um pedaço de folha de um caderno qualquer para lhe dizer meia dúzia de palavras normais e cheias de plurisignificação, onde você é a única pessoa que pode compreender o sentido desses escritos.
 Eu estou apaixonada. Talvez deva ser por isso, quem sabe.
Poderia dizer "Obrigada Deus"
Deus sabe. É, e está cansado de saber também, por que depois das 3.265 vezes (ou mais) que disse "Obrigada, eu tenho um amor" a mensagem deve ter ficado bem gravada. É engraçado falar assim, por que pareço criança que acabou de ganhar o brinquedo mais legal do mundo - mas você não é brinquedo. Você é você
Peguei o carro e sai por ai, inspirada, totalmente despreocupada se ainda estava com meu pijama de coelhinhos e as pantufas cor-de-rosa. Parei em algum lugar e  sozinha, caminhei longamente por uma estrada iluminada, olhando as borboletas brincarem  com as flores e pensando no quão melancólica eu estava por ter saído de perto de você. E foi difícil lembrar de você saindo por aquela porta... E foi ruim o bastante pensar na noite em que ficamos um longo tempo no mesmo abraço; e no amanhecer do dia, no entrelaçar de pernas; em teu coração batendo contra o meu; teu corpo pulsando em mim; tua boca vermelha; tuas mãos... Você. Foi difícil, por que senti seu gosto na boca e ele ainda não me abandonou, porém o meu corpo não consegue ainda guardar o seu calor, ele está frio e frágil precisando de você. Eu sinto saudade, amor...
Mas sabe, quando eu me lembro da luz que sua alma emana através de seus olhos, consigo me sentir confortável... A lembrança do seu rosto paira na minha mente e me faz pensar em mil coisas para fazer ao mesmo tempo: escrever para você, te ver, te beijar... Etc.... Etc... É engraçado esse momento agora... Preste atenção: olhe como as minhas palavras soam tolas! E são tão, tão, tão... Uuuuff... [suspiro]... Tão espalhadas, sem nexo, estética... 
Mas eu queria escrever e por mais ridículas que sejam as minhas palavras, eu queria escrever só para contar besteiras do meu dia, que saí de manhã bem cedo e estou sentada no banco do meu carro ouvindo "Espatódea" com um pedaço velho de papel e uma caneta quase no fim; para dizer que penso em você e que morro de saudade me sentindo acabada toda vez que você tem que ir para casa. Eu sei que amanhã você volta... Eu sei que amanhã você ainda vai me amar [não vai?]... E sei, ah como sei, que meu coração vai ser mais feliz a cada dia que você tocar a minha campainha, sentar para tomar um café e me divertir com suas histórias engraçadas. Entre uma boa gargalhada e outra ficarei perdidamente apaixonada, depois meio minuto de olhares e leves rubores na sua face que ofusca minha pobre visão, ficarei encantada... Tocada... Emocionada. 
Eu te amo - e isso é uma verdade interior.